Quebrando o build no Jenkins quando o SonarQube reclama

Fala galera, beleza?

No post de hoje mostrarei como integrar as ferramentas Jenkins e SonarQube para melhorarexigir qualidade no código que produzimos. Com a integração, podemos quebrar o build no Jenkins quando o Sonar recusar a qualidade do código analisado. Assim, evitamos códigos fora do padrão e garantimos que o mínimo está sendo feito para assegurar o padrão definido para o projeto.

Partirei do princípio que você conhece ambas as ferramentas. Neste post, estou usando as versão 6.5 do Sonar e 2.60.3 do Jenkins. Não vou mostrar como instalar, mas, no final do post, deixarei o conteúdo do arquivo docker-compose usado. Iniciarei as ferramentas com as configurações default.

 

Configurando o Jenkins

A primeira ação necessária para o nosso teste é instalar o plugin SonarQube Scanner for Jenkins.  Para isso, clique em Manage Jenkins >  Manage Plugins. Uma vez o plugin instalado, vamos configurar o endereço do Sonar no menu Manage JenkinsConfigure System.  

 

Configuração do SonarQube no Jenkins
Exemplo da configuração do SonarQube no Jenkins

Leia Mais

Hangout migrando do JSF para AngularJS

Fala galera,

sabemos que migrações de aplicações são bem complicadas de serem realizadas, principalmente quando é necessário mudar o paradigma de desenvolvimento. Pensando nisto, no último dia 20 de junho participei de um hangout, com o DFJUG, onde abordamos como migrar de uma aplicação desenvolvida em JSF para AngularJS.

Para quem não conhece, o Java Server Faces é uma especificação Java baseada em componentes para a construção de aplicações web. Portanto, realizar uma migração de um sistema desenvolvido nesta tecnologia para AngularJS não é nem um pouco trivial. Há uma mudança de paradigma muito grande que você pode ver no hangout abaixo. 😉

O conteúdo ta bacana, mas sou suspeito para falar. Confere aí… 😉

Só para lembrar, a ideia do hangout não é incentivar você a sair migrando as aplicações de JSF para AngularJS. Nossa intenção foi apenas mostrar como seria essa mudança e mostrar alternativas.  😉

E aí, gostou? Compartilhe com seus amigos…

Abraços

Docker Maven

Criando a imagem docker com o maven

No post anterior, Como rodar uma aplicação Java com o Docker, falei um pouco sobre o uso de containers para subir uma aplicação desenvolvida com o framework Spring Boot. Agora que sabemos como criar uma imagem por meio da linha de comando, veremos como fazer isso pelo processo de build do Maven. Para isso, vamos usar o plugin docker-maven-plugin desenvolvido pela galera do Spotify.

Alteração no pom

A única alteração no nosso sistema será no pom.xml:

<plugin>
    <groupId>com.spotify</groupId>
    <artifactId>docker-maven-plugin</artifactId>
    <version>0.4.13</version>
    <configuration>
        <imageName>mytask</imageName>
        <baseImage>frolvlad/alpine-oraclejdk8:slim</baseImage>
        <entryPoint>["sh", "-c", "java -Djava.security.egd=file:/dev/./urandom -jar /${project.build.finalName}.jar --spring.profiles.active=${spring.profile}"]
        </entryPoint>
        <resources>
            <resource>
                <targetPath>/</targetPath>
                <directory>${project.build.directory}</directory>
                <include>${project.build.finalName}.jar</include>
            </resource>
        </resources>
        <imageTags>
            <imageTag>${project.version}</imageTag>
            <imageTag>latest</imageTag>
        </imageTags>
    </configuration>
</plugin>

As configurações necessárias para o uso do plugin são:

  1. imageName – O nome da imagem após o build;
  2. baseImage – O nome da imagem base;
  3. entryPoint – Comando que será executado ao inicializar o container;
  4. resources – Usado para copiar artefatos para dentro do container;
  5. imageTags – As tags da imagem gerada.

Execução do build com o Maven

Com essa pequena modificação, estamos aptos a criar a imagem direto do build com o Maven. Vamos executar o seguinte comando:


$ mvn clean package docker:build --batch-mode release:update-versions

Com esse comando, estamos solicitando ao plugin a execução do processo de build da imagem com os parâmetros que definimos.

Adicionei ao comando o –batch-mode release:update-versions para que o Maven incremente a versão do pom sem interação com o usuário. Fiz isso para que você possa ver as imagens geradas com a mesma versão do pom (linha 18). Então, todas as vezes que o comando for executado, podemos verificar que uma nova imagem está sendo criada com a mesma versão do projeto.

Uma das facilidades que o plugin nos oferece é a abstração em relação aos comandos necessários para criar a imagem. Há muito mais informações do plugin no github do projeto, vale a pena dar uma espiada. O código fonte do exemplo está no meu github.

Agora que você tem mais uma opção para criar a imagem do Docker, seja por intermédio da linha de comando ou pelo Maven, qual você escolheria e por que?

Por hoje é só galera, abraços e até a próxima!

 

Java docker

Como rodar uma aplicação java com o docker

Fala galera, beleza?

Depois de um longo tempo  me dedicando a outros projetos, estou me reorganizando com o intuito de voltar a escrever para o blog.

Começarei contando uma historinha… Sabe aquela velha frase “Na minha máquina esta aplicação roda”? Pois é, quem nunca passou por isso? Cansei das vezes em que precisei analisar o porquê de um sistema não subir em outro ambiente e, no final, o problema era uma simples configuração.

No post de hoje, vamos aprender a rodar uma aplicação Java em um container Docker. Para isso, vou utilizar a app desenvolvida no post sobre Integração contínua com Travis e Heroku.

Se você ainda não sabe o que é o Docker, dá uma espiada no post O que é o docker?.

Docker

Se você realmente leu o post O que é o docker?, já entendeu que trata-se de uma tecnologia de código aberto, que permite manipular aplicações dentro de containers. Isso possibilita empacotar o nosso software dentro de uma unidade, contendo todo o necessário para a sua execução. Desse modo, conseguimos rodar esse container em qualquer lugar em que  o docker esteja instalado.

Portanto, chega de dar desculpas. Com o Docker, podemos implantar aplicações rapidamente, de modo confiável e estável, em qualquer ambiente.

Uma maravilha, não?

Leia Mais

AngularJS

AngularJS: Componentizando os componentes

Fala galera, beleza?

Você aí que às vezes sofre quando o usuário decide mudar o css de um componente no sistema, por exemplo o ícone do botão salvar, esse post é para você!

Cansei de contar as vezes que precisei entrar em VÁRIAS telas do sistema e mudar como a tag do html ia ser renderizada ou alterar o seu comportamento padrão.  Alguns devs tem uma velha desculpa: Ah Gabriel, mas tem a IDE para fazer isso por nós, o trabalho é mínimo!… Eu como um bom preguiçoso, não gosto é de ter trabalho algum.

Então, é aqui que entra  as diretivas do AngularJS (já bloguei um pouco sobre elas aqui). As diretivas poderão facilitar nossa vida (e muito!) quando se trata de padronizar o nosso sistema. Não seria legal mudar em um único lugar e ter a certeza que todo o sistema sofreu a alteração!?

O exemplo

Leia Mais

%d blogueiros gostam disto: